fbpx

A banca do concurso não é a que imaginavam, e agora?

Banca do concurso

Olá, pessoal! Quem estuda sabe da importância de conhecer a banca do concurso que vai elaborar a sua prova. Afinal, estudar a teoria apenas não é suficiente, é preciso fazer questões, e muita!

Já diz o ditado que a prática leva à perfeição e nos estudos não é diferente. É praticando que se aprende toda a teoria estudada, pois é nesse ponto que saberemos como o assunto que você estudou vai ser cobrado em prova.

Por isso que saber qual banca vai organizar o concurso o qual vai elaborar sua prova é de suma importância, pois você já vai praticar as questões de uma forma direcionada, específica. Se a banca for o Cebraspe, por exemplo, sabendo dessa informação, você vai cair matando em cima das questões do Cebraspe de concursos anteriores.

Mas quem está nesse ramo dos concursos há um tempo sabe que os estudos começam bem antes da divulgação da banca. O parâmetro é pegar o último edital do concurso que almeja e meter bronca estudando até bater todo o conteúdo. Geralmente, a mesma banca do concurso anterior organiza o certame seguinte.

Porém, como nem tudo são flores, acontece de o órgão simplesmente mudar a banca organizadora, não mantendo a do último concurso. Isso pode acontecer por inúmeros fatores, um deles é a questão financeira.

Quando isso corre, pega todo mundo de surpresa, tanto os concurseiros quanto os professores especialistas nesse ramo. Daí, o estudante se desespera, pois a banca do concurso não é a que imaginavam. E agora?

O que tenho que dizer para você é que fique calmo, pois estou aqui para ajudar. Fique ligado nessas dicas que vou te dar agora:

1. Antes mesmo de saber qual a banca, faça questões baseadas na banca do último edital.

“Mas, Fernanda, isso não faz sentido! A banca pode mudar!” Muita Calma nessa hora! Lembre-se do que disse linhas acima, não podemos ficar só na teoria, precisamos praticar para chegar cada vez mais perto da perfeição.

Isto é, faça questões sempre! O parâmetro para estudar é o último edital do certame que você quer fazer, lembra? Mesmo sem banca definida, só com uma suposição, você não pode ficar sem praticar, sem fazer questões.

Mesmo a banca mudando, você já vai ter uma grande prática na bagagem, sabendo como a teoria pode ser cobrada nas questões. Ninguém perde fazendo questões, ainda que não sejam da banca real do concurso.

No Método 4.2 de Revisão nós dividimos os estudos em três partes conjuntas: teoria – questões – revisão. Esse é o tripé da aprovação, portanto, perceba o quanto é necessário fazer questões.

2. Analise os editais anteriores e procure fazer questões de outras bancas que tenham a mesma pegada.

Vá buscar editais de uns dez anos atrás e analise se as bancas eram as mesmas ou se houve alguma mudança entre um concurso e outro. Caso outras bancas tenham organizado os antigos certames, procure fazer questões delas também.

Após, comece a buscar bancas que possuam o mesmo estilo de questão que as bancas encontradas nos certames anteriores e pratique bastante. Com isso, você estará preparado para encarar qualquer mudança na banca do concurso que você tanto quer passar.

Dessa forma, você não vai ficar despreparado casa ocorra uma mudança inesperada da banca do seu concurso. Você vai estar com mais metade da maratona completa, tendo mais uns três meses para fazer as questões específicas da banca escolhida.

E não esqueça do tripé da aprovação: teoria – questão – revisão. É assim que você vai chegar lá!

Abraços,

Fernanda Barbosa.

Faça parte da família 4.2 e otimize seus estudos! Clique no botão abaixo e deixe o seu nome na lista de espera.

Conheça o Método 4.2 de Revisão e baixe já uma das Planilhas Gratuitas que preparei pra vocês.

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
Linkdin
Share on pinterest
Pinterest

Deixe seu comentário