fbpx

Como Avaliar o Custo-Benefício de Cada Disciplina

É importantíssimo que o candidato leia atentamente o edital do concurso para o qual está se preparando, sobretudo a parte relacionada à distribuição das questões da prova dentre as disciplinas previstas para aquele certame. Além disso, o concurseiro deve observar os pesos de cada disciplina, calculando a quantidade de pontos que você pode obter em cada disciplina.

Prof. Rafael Barbosa

O resultado dessa análise pode fazer você perceber, eventualmente, que nem todas as disciplinas têm muita importância. Às vezes você poderá até fazer uma prova deixando de estudar determinada disciplina. Tudo isso avaliando o seu custo benefício. Segue abaixo uma tabela que pode nos mostrar como devemos fazer esse tipo de avaliação:

DisciplinaQtde de QuestõesPesoTotal de Pontos
Português20240
Matemática10110
Informática414
Direito Penal313
Direito Civil313
Direito Constitucional10220
Direito Administrativo10220
Direito Tributário20240
Total80
140

Apenas olhando os dados acima, é possível perceber que as disciplinas Direito Civil e Direito Penal possuem um custo benefício baixo para essa prova, já que as duas disciplinas, somadas, representam apenas 4,28% dos pontos totais. 

Sendo assim, se não houver mínimos por disciplinas, seria sensato avaliar a real necessidade de se estudar essas duas disciplinas (isso num cenário de escassez de tempo, comum na jornada de qualquer concurseiro).

No outro extremo estão as disciplinas Português e Direito Tributário, que, somadas, representam 57,14% da prova.

Algumas coisas devem ser levadas em consideração antes decidir investir mais energia em determinadas disciplinas ou, eventualmente, deixar alguma matéria de lado. Isso porque, vendo que os concursos atuais estão com notas de corte cada vez mais altas, devemos garantir a máxima eficiência na prova, materializada no percentual geral de acerto em questões. 

Para isso, é fundamental ter noção dos percentuais de incidência de cada assunto da disciplina, saber a sua velocidade de leitura na matéria e também o seu nível em cada matéria, por meio do cálculo dos percentuais de acerto.

Calculando os percentuais de incidência

Os percentuais de incidência devem ser calculados tomando-se uma amostra significativa com questão da banca que irá organizar o certame (ou a provável banca organizadora, se não tiver ainda definida), observada a escolaridade do cargo, de preferência, em períodos que não ultrapassem os últimos cinco anos. Lembrando sempre de retirar da amostra as questões desatualizadas e anuladas.

De posse dessa amostra, é possível obter os percentuais de incidência dividindo as quantidades de questões encontradas para cada assunto pelo total de questões da amostra. De posse desses dados, é interessante que você estude os assuntos em ordem decrescente do grau de incidência encontrado. Dessa forma, mesmo tendo que estudar disciplinas de baixo custo benefício, você consegue minimizar o risco de se estudar algo irrelevante, que nunca caiu.

Calculando a sua velocidade de leitura

Sabe a sua velocidade de leitura é muito importante, pois às vezes devemos medir o tempo estimado de término da leitura de determinadas disciplinas, como Direito Penal e Direito Civil do nosso exemplo, ainda no momento de avaliação se essas matérias devem ou não serem estudadas, tendo em vista o custo benefício baixo. No entanto, se você quiser eleger uma das duas para serem lidas, a sua velocidade de leitura em cada uma delas pode ser fator decisivo nessa escolha.

Por isso é tão importante, durante a preparação, registrar a quantidade de páginas lidas em cada tempo de estudo. Lembrando que devem ser computadas páginas líquidas, o que não inclui as questões e comentários dentro do próprio texto ou outros acessórios contidos nas aulas.

Registre-se que a velocidade de leitura varia muito de disciplina para disciplina, por isso você deve manter o controle da quantidade de páginas de todas as disciplinas que constam na sua meta/ciclo.

Calculando percentual de acerto em questões

Por fim, considerando a importância de se saber como você está em cada disciplina na hora de “distribuir” energia dentre as disciplinas, é importante que você registre os dados sobre a quantidade de questões respondidas e a quantidade de acertos, em cada assunto, de cada disciplina, por meta.

Dessa forma, a depender do custo benefício de cada disciplina, você terá melhor condição de escolhe onde deve colocar mais energia durante os estudos. Por exemplo, sabendo que Português e Direito Tributário são as duas disciplinas mais importantes na nossa amostra (cada uma das disciplinas representa 40 pontos possíveis na prova), você deve dedicar mais energia para aquela disciplina na qual possui menor percentual de acerto em questões, levando em conta a sua média histórica.

Em resumo, percebemos a importância de se calcular o custo benefício de cada uma das disciplinas previstas no edital. De posse desses dados, levando em conta também o percentuais de incidência de cada assunto dentro das disciplinas, a velocidade de leitura em cada matéria e o seu percentual de acerto em questões, é possível traçar a melhor estratégia de estudo, principalmente se estivermos em uma reta final, onde o tempo é ainda mais escasso, não restando ao concurseiro outra opção que seja a otimização do seu tempo de preparação.

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
Linkdin
Share on pinterest
Pinterest

Deixe seu comentário