fbpx

Letícia Marques

O início: caos!

Conheci o método 4.2 em meio ao caos. Sim! Eu estudava de forma super desorganizada, sabia da importância de revisar, mas não sabia quando e como. Passei por diversas fases, já tinha testado outros métodos de revisão, mas eu não sabia exatamente o que eu iria estudar em cada dia, além de não conseguir avançar no edital. Até que, pesquisando no Youtube, encontrei o professor Rafael Barbosa, assisti todos os vídeos e passei a acompanhá-lo em todas as dicas e no seu método. Inicialmente, com a célebre frase: “faça amor, não faça resumos”, percebi que não podia continuar estudando apenas escrevendo, busquei trocar meus cadernos com resumos para apostilas em que dava prioridade aos grifos e pequenas anotações na lateral da página. Aquele seria o meu material de revisão, foi onde me encontrei.

Profissão: estudante

Fui (e sou ainda) estudante profissional, sabia que pra atingir meus objetivos, precisaria de mais organização e disciplina. Variei entre fases de estudos mais leves e mais puxadas, mas em média possuía uma carga horária de 6 horas líquidas, assim, como o professor aconselha, estudava 3 matérias por dia, sempre dividindo em 4 dias de teoria e 2 de revisão (fiz uma adaptação nos sábados e domingos, então dividia o último dia de revisão que seria no sábado em dois, assim, estudava meio período no sábado e a outra metade no domingo). Depois de um tempo, me mantive nas 8 horas diárias, acrescentando mais uma matéria, totalizando 4 por dia. Durante a revisão, o professor aconselha fazer 50 questões sobre aquele assunto que foi visto, mas eu fazia em torno de 20 a 30 questões sobre o que tinha estudado e aproveitava para revisar meu material teórico após as questões.

Jornada de aluno

Quando terminava aquela matéria, incluía outra e, de vez em quando, fazia uma RGQ naquela que havia esgotado, sem filtro por matéria, apenas por cargo e área. Então, fazia 1 simulado por semana e revisava meus erros em matérias que já tinha batido o edital. Quando chegou o edital do TJ PA e veio Administração Pública em um concurso pra Analista Direito (o que não é muito comum), também segui o conselho do professor, coloquei essa matéria todos os dias, além do estudo da legislação específica, também todos os dias. Já as demais, continuei dividindo em blocos A e B, conforme o método 4.2. Chegando perto da prova, já havia batido o edital (mais de uma vez em algumas matérias, como constitucional e administrativo). Ao todo, foi em torno de 1 ano de estudo até a data da prova do TJ PA, mas no começo era tudo bem desordenado. Depois que conheci o método, já sabia anteriormente o que eu iria estudar em cada horário e isso fez com que eu fosse mais organizada.

Siga o conselho

Outra coisa que o professor sempre enfatiza é: corra atrás de bater o edital e depois volte reestudando e fazendo questões. Então, com certeza, isso foi essencial pra mim, provavelmente se eu não tivesse seguido os conselhos, eu estaria fazendo resumos manuscritos, me especializando apenas nos assuntos iniciais de cada matéria e não teria ido atrás de bater o edital, com certa qualidade, claro.

Fica a dica: Método 4.2!

Todo mundo que me perguntava dicas de como estudar, eu indicava: “vá assistir os vídeos do professor Rafael Barbosa e veja o método 4.2”. Sempre recomendei pra todos os meus amigos e até hoje indico. Não perco mais tempo pensando o que estudar e quando revisar, já tenho tudo pronto com a tabela do método, então, “só” resta seguir.

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
Linkdin
Share on pinterest
Pinterest

Deixe seu comentário