fbpx

Meu primeiro pedido de “exoneração”

pedido de exoneração - método 4.2

Hoje, dia 26 de novembro de 2020, faz 10 anos do pedido de “exoneração” do meu primeiro cargo público: Sargento do Exército Brasileiro. Foi o meu presente de aniversário naquele ano.

Passei 7 anos no Exército e vivi coisas incríveis. Participei de projetos importantes na área da cartografia e do geoprocessamento (eu era do quadro de topografia). No entanto, além da baixa remuneração, a vida militar já não me agradava. Não era algo que eu queria para o resto da minha vida.

Foi assim que eu decidi buscar voos mais altos.

Sou muito grato por tudo que vivi naquela época, e sei da importância deste momento na minha vida. A experiência de pertencer a uma instituição tão tradicional, a disciplina militar, a responsabilidade que eu tinha tão jovem (me formei no dia do meu aniversário de 19 anos – vejam como o dia 26/11 é importante na minha vida).

Mas eu queria mais.

Foi por isso que eu decidi fazer o curso de ciências contábeis. Eu já sabia o que queria pra mim. O cargo de auditor sempre me encheu os olhos.

Entrei na Universidade de Brasília aos 20 anos de idade, e fiz de tudo para adiantar matérias. Ainda durante o curso, no sexto semestre, decidi estudar de verdade para concursos.

Peguei o edital do TCU como base e foquei completamente no projeto. Eu estudava 4 horas e meia por dia. Quando dava, adiantava matéria nos finais de semana. Fiz vários concursos de setembro de 2009 a novembro de 2010. Passei em 5 cargos de analista: Analista da SEPLAG-PE, Analista da SAD-PE, Analista do MTUR, Analista da DPU e Analista Judiciário do TRT21 (todos nas vagas).

Isso mesmo, você não leu errado. Eu estudei para Auditor do TCU e passei em 5 cargos de analista. Lembra o que eu sempre falo? Quem pode o mais pode o menos. Se quiser saber como eu fiz, assista ao vídeo abaixo:

Continuando…

Eu já tinha 5 aprovações e não aguentava mais o Exército. Precisava dar um fim naquilo. Como eu sabia que poderia passar no cargo que eu quisesse (autoconfiança é tudo), decidi me dedicar ainda mais aos estudos. Me planejei para pedir baixa dia 26 de novembro de 2010, mesmo sem ter ainda nenhuma nomeação. Foi a minha decisão mais acertada. Fui nomeado dias depois da minha “exoneração”. Eu conto essa história em detalhes no meu livro.

Enfim, se você está em um emprego que não gosta, estude para sair dele. Não perca seu tempo reclamando, não gaste energia com isso. Apenas estude e saia com a cabeça erguida.

Aprenda a confiar em si mesmo e desenvolva o hábito de estudar. Mesmo que sejam poucas horas por dia. O que conta mesmo para ser aprovado é a constância. O prazo é muito relativo, o que vai exigir de você muita paciência.

E o cargo de auditor? Bom, essa história eu conto depois…

Simbora estudar, galera!!!

Conheça o Método 4.2 de Revisão e mude a sua forma de estudar. Encontre o caminho da aprovação.

Grande abraço,

Rafael Barbosa

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
Linkdin
Share on pinterest
Pinterest

Deixe seu comentário