fbpx

Tome Vergonha na Cara

Você não é criança, deve se responsabilizar pelas suas ações, ou melhor, pelas suas decisões.

Toda ação ou omissão tem uma consequência, por isso você deve estar sempre vigilante.

Nesse sentido, é preciso entender que a sua condição nos dias de hoje é o resultado de todas as decisões passadas, mesmo que indiretamente. Mas eu não estou falando apenas de condições “ruins”, estou falando de “condição” no sentido amplo.

Ou seja, se você está confortável hoje, em um bom emprego, ganhando um bom salário, com uma família bem estruturada, passando por essa quarentena de uma forma um pouco menos traumática, tudo isso é consequência do seu esforço anterior, das suas decisões acertadas.

Responsabilidade sua!

Do mesmo modo, se você está passando por dificuldades, com poucos recursos, num emprego que não gosta e com uma família bagunçada, essa situação também é consequência das suas ações, ou pior (em alguns casos), da sua omissão. Sendo, portanto, responsabilidade sua.

Mas eu não vim aqui para apontar o dedo para você, te julgar ou tocar o dedo na sua ferida. Nada disso. Eu vim aqui para te ajudar a sair desse processo destrutivo. Porque eu sei que você não desejaria algo ruim para si mesmo. Não faria sentido.

É importante, ante de mais nada, entender o real significado da palavra “responsabilidade”, que tem a ver com a “autorresponsabilização”, o famoso “tome vergonha na cara”.

Responsabilidade vem do Latim RESPONSUS, particípio passado de RESPONDERE, “responder, prometer em troca”, de RE-, “de volta, para trás”, mais SPONDERE, “garantir, prometer”.

Sendo assim, ser responsável significa ter a capacidade de responder pelos próprios atos, arcando com as consequências decorrentes do seu próprio comportamento.

Ressalte-se que eu não estou ignorando as variáveis externas, incontroláveis. Você não pode ser responsabilizar pela chuva, mas tem o dever de ser diligente o suficiente para carregar consigo uma proteção para o caso de ela (a chuva) cair sobre você.

A chuva é uma variável exógena, mas ter o guarda-chuva é uma opção sua, somente sua.

Por isso, refletindo um pouco agora sobre o que cada um quer de si para o futuro, saiba que você é quem deve se responsabilizar pelo rumo que a sua vida vai tomar daqui pra frente.

Seria mais tranquilo se você já estivesse com a vida estabilizada hoje? Se a responsa for sim, então lute para que as coisas mudem daqui pra frente. Ao invés de perder tempo reclamando que não está como gostaria, aprovado, lute com todas as suas forças para acelerar a sua posse.

Independentemente das condições de hoje, faça tudo o que estiver ao seu alcance para mudar o seu amanhã.

Tenho certeza que a minha vida seria uma porcaria hoje se eu não tivesse me dedicado tanto. Eu comecei a estudar para concursos muito cedo, pois sabia que o meu futuro estava ali.

Enquanto meus colegas brincavam ou jogavam futebol aos 17 anos, eu ia pra casa estudar para ser militar. Queria concluir o ensino médio já “empregado”.

Me dediquei, acordei cedo, estudei, me isolei, agi!

Hoje estou muito bem, graças a Deus. Fui aprovado no cargo de Auditor Fiscal aos 28 anos de idade, dando continuidade ao projeto que elaborei ainda jovem. Uns chamam de sorte, outros de foco. Independentemente da denominação, posso afirmar sem dúvida que tudo foi responsabilidade minha!

Se eu estivesse ruim, na pindaíba, liso, também seria responsabilidade minha.

Mas me diga uma coisa, como está a sua vida hoje? Topa reprogramar a sua vida e tentar mudar os seus hábitos?

Menos desculpas, mais ações.

Menos vitimização, mas responsabilidade.

Menos sorte, mais competência.

Só assim você pode mudar o seu futuro, fazendo coisas que nem todo mundo está disposto. Deixando um pouco de lado a vontade, fazendo aquilo que o dever manda.

Tome vergonha nessa sua cara e vá simbora estudar!

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
Linkdin
Share on pinterest
Pinterest

Deixe seu comentário